"Roubaram Meu Corpo" - Capítulo 1

   Amanhece, Hater acorda tonto porque o corpo ainda não se acostumara ao seu novo ocupante. Levanta-se da cama, veste-se e quando de súbito lembra-se do seu corpo: "Droga, esqueci do meu corpo, o que fazer?" pensa. "Tenho que achar alguma câmara que contenha temperatura suficiente para guarda-lo por 48 horas, pois se eu não voltar pro meu corpo dentro desse prazo meu cordão de prata se romperá".
   Toca um sino e uma mulher trajando uma vestimenta azul, típica de arrumadeiras, entra na sala. Hater fala:
- Providencie um carro por favor. Sem uma palavra a muler acena com a cabeça e sai. Volta com 5 minutos com a notícia de que o carro esperava o Presidente.


   Depois de meia-hora ele chega na sua antiga casa, uma casa de origem do século XV, parecia com um castelo sinistro. Ele entra na casa e encontra seu corpo duro, sentado numa almofada vermelha encostado na parede.
   Hater levanta seu corpo e o coloca numa caixa que ele guardava para essa ocasião. Vai para outra sala e trás uma pistola estranha e um outro aparelho do tamanho de uma mão.
 
 
   Depois de chegar em casa ele pergunta a camareira se há algum congelador espaçoso a sua disposição para guardar uma mercadoria. - Sim, claro que tem, o ongelador da ala 2 ao lado do quarto de Vossa Excelência - responde a mulher.
   - Obrigado, pode ir mas antes chame os dois carregadores que trouxeram a caixa para me ajudar a coloca-la na ala 2 - fala Hater com a voz monótona. A empregada acena com a cabeça e se retira.
   Minutos depois o corpo já se encontrava no meio do congelador que era uma sala refrigerada com várias estantes e um espaço no meio que cabia facilmente um corpo. Hater acopla na porta do congelador um dispositivo que quando uma alma quiser entrar no congelador seu cordão de prata se rompe. Hater coloca em baixo de seu corpo uma arma especial que ele mesmo inventara. Essa arma quando atingia alguém dissolvia seu corpo e sua alma, impedindo assim que a pessoa pudesse reencarnar.
 
 

Postagens mais visitadas