"Filho do Mal" - Capítulo 3


   Era 10 horas da manhã quando pessoas se aglomeram naquela praça. Elas fazem um círculo ao redor dos corpos dos namorados que estavam completamente despedaçados.
   Dois policiais examinam os corpos com visível tristeza e cuidado quando um barulho de sirene de carro de polícia se ouve. O carro estaciona na praça com uma lentidão irritante, a porta é aberta permitindo que os pés aparentemente cansados deixem o veículo. Passo a passo o homem se aproxima da multidão.
   - Finalmente o senhor chegou delegado Edson - fala um dos homens que estava perto dos corpos.
   Sem dizer uma palavra Edson se aproxima dos corpos e pergunta:
   - A que horas encontraram os corpos?
   - As 9 horas da manhã um garoto tropeçou nos corpos.
   - Já identificaram as vítimas?
   - Já, são apenas estudantes sem ficha na polícia nem parecem ter inimigos, pelo que pude averiguar.
   Edson anota alguma coisa em sua caderneta, despede-se dos policiais e parte com o carro.

   1 mês depois ...
   O telefone toca, Edson atende:
   - Alô, delegado Edson? Não admito mais desculpas quero que você pegue esse criminoso ainda esta semana - O secretário de segurança desliga o telefone na cara de Edson que, ainda com o telefone na mão, é interrompido por batidas na porta de seu gabinete.
   Um homem velho entra na sala, aproxima-se da escrivaninha de Edson e fala com sua voz rouca:
   - Eu posso ajudá-lo a resolver essa crise dr.
   - Como? Me diga.
   - Eu sou um médium e no mês passado senti que algo ruim iria acontecer, mas não sabia o que. Então resolvi consultar os espíritos e eles me disseram que um homem fez um pacto com o diabo. Ele teria que abrigar em seu corpo o filho do demo durante dois meses e quando acabasse esses dois meses a criatura viveria para sempre na Terra. Você só conseguirá mata-la se atirar na cabeça da criatura enquanto ela estiver fora do hospedeiro.
   - O senhor me faz perder tempo com essas tolices, faça o favor de deixar-me sozinho pois já tenho problemas demais para resolver - Fala Edson empurrando o velho para a saída.

   5 horas da madrugada, Edson estava sentado no banco do parque, esperava encontrar o assassino. Olha para o fim do parque e vê uma moça que caminhava em sua direção.
   - O que faz a essa hora na rua moça?
   - Eu venho de uma festa ...
   Sua fala é interrompida por algo que pula de uma árvore em suas costas. Edson vê o monstro e lembra das palavras do velho "acerte a cabeça" pega o revolver, mas não atira com medo de acertar a moça que estava em baixo do monstro segurando suas patas para impedi-lo de matá-la.
   - Socorro, me ajude - grita a moça.
   O tenente pega a arma e bate com a coronha na cabeça do monstro que se volta para ele abandonando a moça no chão. O monstro empurra Edson que cai e bate a cabeça no chão ficando inconsciente.
   A criatura se aproxima de Edson mas quando está prestes a matá-lo o Sol aparece no céu e ele rapidamente foge do local deixando os dois inconscientes.

Postagens mais visitadas