"Drogas - Negócio Mortal" - Capítulo 1

   Antigamente costumava escrever algumas histórias. Era muito influenciado pelos filmes que assistia e livros que lia. Na arrumação de fim de ano encontrei 3 histórias que tinha escrito nos anos 90. Ainda feitas na máquina de escrever. Elas não são um primor de escrita, mas têm valor sentimental e, para não perdê-las novamente,  publicarei as 3 no blog.
   Começo com "Drogas-Negócio Mortal" . Vou postar um capítulo por post. O texto está tal qual o original, com seus defeitos de narrativa e erros de português.
   .............................................................................................................................................................

     Drogas- Negócio Mortal - Capítulo 1


   Numa noite, Thomas estava cansado de tanto trabalho e resolve ir ao teatro. Ao chegar ao teatro ele ouve um barulho vindo de um beco que ficava ao lado do teatro. Curioso como todo escritor, Thomas entra no beco que exalava um cheiro de podre, suas paredes estavam imundas, havia lixo espalhado por todo lado.
   A alguns metros dele estavam três homens, dois deles estavam armados com pistolas portando silenciadores. A iluminação era fraca, por isso ele não enxergava os rostos dos três homens. Thomas se esconde num nicho da parede para não ser visto.
   Um dos homens que estavam armados falou:
    - Agora você sentirá na pele o que acontece quando alguém trai a gangue do Xavante. Depois que falou isso, ele atirou seis vezes no pobre homem, que caiu no chão banhado de sangue. Neste exato momento Thomas Working teve um acesso de tosse denunciador.
   Percebendo o perigo Thomas sai correndo. Os homens percebem sua tresloucada fuga e atiram nele, os tiros passam perto mas não acertam o alvo, eles continuam a atirar, dessa vez o tiro atingiu Thomas no seu braço esquerdo , o sangue jorrava sem parar. Suas pernas cansadas não conseguiram mais correr fazendo com que ele caísse desmaiado no mesmo instante.
                    *                               *                                  *
   Quando se acordou admirou-se por ainda estar vivo, olhou o recinto onde se encontrava, estava deitado numa cama, era um quarto vazio, nele só havia a cama. Thomas tentou se levantar mais ainda estava fraco demais, o esforço fez com que ele caísse no chão.
   Uma porta fora aberta, uma lufada de ar fez com que Thomas estremecesse. Dois homens entraram na sala, eram os mesmos do beco, um deles era alto, loiro, com corpo de halterofilista. O segundo era gordo, baixo, possuía um bigode grosso.
   O loiro amarra Thomas na cama, o gordo pergunta em voz alta:
   -Você é espião da gangue do Falcão?
   - Não conheço nenhum Falcão - responde Working nervoso. O homem se aproxima de Thomas com uma faca na mão dizendo:
   - Olha aqui cara nós não estamos com brincadeira, ou você desembucha logo ou nós acabamos com tua raça.
   Thomas grita que não sabe de nada, mas não adianta, o gordo pega a faca enconsta o fio dela ao lado do olho direito de Thomas, a faca penetra na carne de Thomas descendo até o canto da boca, ele grita de dor e desmaia.
   - Esse daqui à pouco nos dirá quem mandou espionar - era o loiro que falava.
   Eles desamarram Thomas, saem do quarto rindo e fecham a porta por fora.

Continua...
 

Postagens mais visitadas